sábado, maio 07, 2005

Reinaldo Azevedo Dando Nome aos Bois

Quem me conhece de debates no Orkut sabe que gosto muito dos artigos do Reinaldo Azevedo, timoneiro-mor da revista “Primeira Leitura”. Sob a sua batuta, a “Primeira Leitura” deu uma saudável guinada, abandonando muitos (embora não todos) os tiques social-democratas dos tempos de Mendonça de Barros e adotando uma postura mais simpática ao pensamento liberal. Não ousaria chamar a “Primeira Leitura” de liberal, mas ela certamente se distanciou considerávelmente dos cacoetes esquerdistas que dominam a imprensa brasileira. Isso é fundamental para que tenhamos no Brasil um verdadeiro pluralismo de idéias, um autêntico embate ideológico, e não esse embuste que hoje assistimos, em que temos que escolher entre a esquerda vermelho-sangue, a vermelho amarronzado, a cor de rosa e a púrpura amarelado.

Um artigo recentíssimo do Reinaldo Azevedo me chamou bastante a atenção: “Indivíduos de todo o mundo, uni-vos!” Nesse poderoso ataque às tentativas de certos grupos de impor a censura sobre o conteúdo que circula pela internet, Reinaldo Azevedo cita até Tocqueville! Leitura obrigatória.

Pontos mais marcantes:

“Antes que avance, tenho uma dúvida e gostaria que o internauta me ajudasse: por que, sempre que a tal sociedade civil é chamada a falar, o seu representante é de esquerda? Por que um esquerdista parece especialmente talhado para nos conduzir à luz até quando se debate pedofilia? Assistindo ao noticiário de TV ou mesmo lendo os jornais, a impressão que tenho é que os esquerdistas não só venceram a batalha ideológica como dão as cartas na economia, na política e, claro, nas empresas. Até parece que o Muro de Berlim desabou sobre a cabeça de seus adversários, não sobre a sua própria.”

“Evidentemente, o tal programa tinha um problema de pauta. Ou bem se debate o que fazer com os que promovem um crime na internet ou bem se debate se é saudável criar um instrumento público para censurar a rede. O dito-cujo que estava no programa, via-se, estava pouco se lixando para o tema em questão. O negócio dele era ‘controlar o que rola’”

“E aqui vale uma observação importante, lição aprendida com Tocqueville. Na vida pública, os males da liberdade se corrigem com mais liberdade. É rigorosamente falso que a internet facilite a ação de pedófilos. Na verdade, dificulta porque abre uma janela para a sua identificação e prisão. Basta que a polícia queira, a exemplo do caso recente de um arquiteto preso no Distrito Federal. A internet tem tanta influência na promoção da pedofilia quanto o romance Werther, de Goethe, teve na onda se suicídios que teria varrido a Europa na esteira de sua publicação: ou seja, nenhuma. Naquele caso, certamente atuaram os inimigos de Goethe. Neste, atuam os inimigos da liberdade. Sob o pretexto de combater o nefando, as parcas do totalitarismo afiam sua tesoura e babam o seu rancor contra a liberdade individual.

Ora, os pequenos Pol Pots estão assanhados. Pegam carona no nefando para encontrar uma justificativa moral acima de qualquer suspeita para a sua causa. Acho que foi Bertolucci quem disse, numa entrevista, que ‘o fascismo começa caçando tarados’. Se não foi bem assim, foi quase isso. Estava defendendo os tarados? Não! Estava atacando os fascistas.

Infelizmente, multiplicam-se os casos de pessoas, entidades e auto-intitulados representantes da sociedade civil — aliás, onde fica a sede da sociedade civil? Qual o CEP? — que se assanham a meter o nariz na liberdade de expressão, que se organizam para, como dizem, subordinar a informação, a internet, o jornalismo e, se possível, o Chicabom (viva Nelson Rodrigues!) ao ‘interesse social’. Ora, vocês sabem, não é?, ‘interesse social’ é uma senha de perseguição política definida por uma minoria mobilizada, quase sempre imposta goela abaixo da maioria desorganizada e silenciosa. Aliás, no dia em que as oposições descobrirem a existência da maioria não-militante — e constatar, inclusive, que é ela quem decide o resultado de eleições —, talvez se possa reduzir o PT e o petismo a seu real tamanho.

(…)estou apenas observando que é preciso ter a coragem de afrontar chavões coletivistas tornados influentes apenas porque a minoria que os defende é barulhenta.

Ora vejam: bato tanto em tanta gente. Só faltava agora me fazer de ofendido. Até que não me atribuam o que eu não disse e não usem o meu nome para causas particularistas, que não são as minhas, meus textos estão no mundo. Que os adversários os usem para alimentar a sua fúria se não servirem para despertar a sua fome. A minha praia é a liberdade. Minha e alheia. Meu país é o indivíduo. Minha concessão generosa ao mundo é a institucionalidade democrática, já que somos obrigados a ter uma existência além de nosso núcleo familiar. Assim, o meu contrato social supõe o ambiente que garanta aquela liberdade e aquela individualidade, e não o que vem para mitigá-las e se tornar ele próprio um fim.

Não posso, claro, dizer que Reinaldo Azevedo seja um liberal. Mas é sem dúvida um aliado na luta pela liberdade. E contra os inimigos que estão mobilizados contra ela, todos os aliados que partilhem do desejo de lutar por isso de forma honesta são mais do que bem-vindos.

1 Comments:

At quarta-feira, maio 25, 2005 12:25:00 AM, Anonymous Luís Guilherme F. Pereira said...

Ainda não tinha lido esse artigo do Reinaldo Azevedo. Bom ler. Também tenho gostado das mudanças da Primeira Leitura, mas acho que uma grande vantagem dela é o pluralismo ideológico. Pluralismo ideológico no Brasil significa ir da esquerda ao centro, a Primeira Leitura chega até à centro-direita, com Rui Nogueira, Reinaldo Azevedo e Caio Blinder.

Bom blog! Parabéns. (já havia passado para a frente um texto seu que acho que peguei no capitolio.org (que um colega comunista comentou chamando você de "seguidor da escola neoclássica" e "realmente um representante de Bush e dos EUA, ou melhor da nova ordem neoliberal"), mas não conhecia o blog).

 

Postar um comentário

<< Home

Web Ring Liberal
Ring Owner: Julio Belmonte Site: Web Ring Liberal
Free Site Ring from Bravenet Free Site Ring from Bravenet Free Site Ring from Bravenet Free Site Ring from Bravenet Free Site Ring from Bravenet
Site Ring from Bravenet
[prefs.setac_phrase]